Quiosque Arab



Quiosque Arab:

Filha de pai sírio e mãe libanesa, Vivian Arab fixou-se na Lagoa em 1998, dois anos depois de inaugurar seu restaurante em Copacabana. Psicanalista, deixou de clinicar em 2005 para se dedicar exclusivamente à gastronomia. De frente para a Lagoa Rodrigo de Freitas, o quiosque árabe tem sugestões de sanduíches, entre eles o de falafel e o Bagdá em Chamas, que leva filé mignon, tomate, cebola, mozzarella de búfala grelhada e molho de tahine no pão pita. A carta de cervejas inclui rótulos importados como a uruguaia Patricia e a alemã Franziskaner. Além da gastronomia, o clima árabe está presente também na decoração, como, por exemplo, nas luminárias trazidas do Marrocos e da Síria.



Horário de Funcionamento: Domingo a quinta, das 9h à 1h; sexta e sábado, das 9h às 2h30m
Aceita cheque: Sim
Cartão de crédito: Sim
Cartão de débito: Sim
Reserva: Sim.
Estacionamento: Sim
Acesso para deficiente: Sim
Espaço para fumantes: Sim
Tipo de restaurante: Árabe



Miniatura Quiosque ArabAv. Borges de Medeiros, s/nº Parque dos Patins, Quiosque 7 Lagoa Rio de Janeiro - RJ
http://www.arabrestaurante.com.br arab@restaurantearab.com.br
21  2540-0747  
Quiosque Arab thumbs


Divulgação Quiosque Arab


Hudson Pontes Quiosque Arab


Divulgação Quiosque Arab




Mostrar mapa ampliado



Passei o domingo pedalando, pedalando, pedalando sem parar. Ventinho no rosto, calor na medida e um cair da tarde campeão (aliás, será que abocanhamos as Olimpíadas de 2016?). Quando a fome bateu, peguei a ciclovia da Lagoa e não titubeei: estacionei minha "bice" (como chamam os paulistas) em frente ao Arab, quiosque das antigas de comida árabe. Aliás, bem em frente ao Arab, no cantinho esquerdo da foto, repare só, lá está o aro da minha bicicleta estrategicamente posicionado para não atrapalhar o visual agraciado com uma estrela no recém-lançado "Guia Michelin Rio".

Afora a paisagem e o prazer de comer ao ar livre, gosto muitíssimo da cozinha árabe (há sempre um árabe no comando de tudo) e lamento não termos tantas opções do gênero como, por exemplo, temos de japas. Nas proximidades do jornal, estamos bem servidos: a Saara é logo ali. Daí, volta e meia deixo a redação e dou um pulo lá, onde encaro um combinado daqueles que reúnem o melhor da culinária (quase sempre) libanesa. Salivo ao me lembrar da coalhada seca e fresca para regar com azeite, que nem extravirgem precisa ser. E de um bom pão pita (gosto de "boina"), que no Arab é feito na hora (um de seus grandes trunfos). Chega estufado, como um travesseiro de pena de ganso. Delícia.

O mix árabe da casa é sob medida: labne (coalhada), hommus tahine (grão-de-bico com gergelim), baba ghanoush (pasta de berinjela), chanclich (ricota temperada), tabule e pão. Custa R$ 48, para dois. Sugiro reforçar com porções de miniquibes ou miniesfirras abertas (R$ 16, cada porção).

Parar no Arab cai bem a qualquer hora da noite. E do dia, que começa cedo: a partir das 9h, serve-se café da manhã (R$ 26, para dois) por lá. Já me programei: será o meu próximo pit stop.





Quiosque Arab - http://www.arabrestaurante.com.br

Nenhum comentário :